domingo, 14 de março de 2010

A Cor Branca


A filosofia de cada cor está diretamente ligada a seus objetivos. Cada cor deseja criar um mundo do jeito que acha que seria perfeito. Dito isso, o que o Branco mais valoriza? Harmonia. O Branco quer um mundo em que todos se entendam. O Branco aprecia o conceito de “Comunidade”. O Branco quer o melhor para todos. O Branco cuida de todos. O Branco quer a facilidade de uma sociedade Utópica, em que todos compartilham e cooperam com os outros. O derradeiro objetivo do Branco é a Paz.

Vale aqui fazer um breve comentário sobre o conceito de “Bem”. Bem e Mal são rótulos usados pelas pessoas para simbolizar algo que apóia seus valores, ou ataca seus valores. Algo que promove valores em que você acredita é “Bom”. Algo que ataca os valores que nos quais você acredita é o “Mau”. Cada cor em Magic acredita firmemente nos seus objetivos. Portanto, se vêem como o Bem, e os que se põe em seu caminho, o Mal.

Muitos humanos compartilham algumas crenças globais (“retirar uma vida humana é errado”, por exemplo.). Alguns valores do Branco se alinham com algumas dessas crenças universais. Portanto, o Branco é visto geralmente como a cor do “Bem”. Ah, mas o Branco não é totalmente Bom ou Mau, mesmo por que isso varia de pessoa pra pessoa. Preservação da vida é bastante Branco. Muitos poderiam considerar isso como “Bom”. Fascismo também é algo Branco. Muitos de vocês classificariam isso como “Maligno”.

Isso foi mencionado pois o mais importante é separar o conflito das cores “Preto-Branco” do Magic da relação do Bem contra o Mal. Moralidade versus Amoralidade. Luz contra Sombras. Pureza versus Corrupção. O conflito Branco/Preto tem várias faces. Mas “Mal contra Bem” é muito mais subjetivo. Veremos, então, um dos elementos deste conflito, os direitos do grupo contra os direitos da unidade. Isso nos lembra Capitalismo contra Socialismo, não? Capitalismo é o lado “Negro” do argumento. O Capitalismo é algo totalmente mau? Não creio. O Socialismo é totalmente mal? Também não creio.

O Branco não visa apenas ajudar a si mesmo, mas como também ajudar o mundo todo. Essa é a sua tarefa inacabável. Como ele pode tanto criar, como também manter a paz? A resposta é “estrutura”. Criando duras regras e leis, o Branco garante que as coisas fiquem em controle. O Branco extende essas leis a duas áreas distintas.

Primeiro, as Leis Morais. O Branco accredita que moralidade é a base de tudo. Existe o “Certo” e o “Errado”,. Indivíduos são moralmente obrigados a fazer o “Certo”. Mas o Branco vai mais adiante! Indivíduos também são moralmente obrigados a impedir que seja feito o “Errado“. A paixão do Branco nesta área é tão grande que o leva a usar o conceito de “Religião”.

A segunda das “ferramentas” do Branco são as “Leis Civis”. Essas regras garantem que um único indivíduo não ameace o bem de todos. O Branco acredita que o bem da sociedade é mais importante que os direitos de um único indivíduo. As leis Brancas ajudam a garantir que a proteção do grupo. A paixão do Brando nesta área leva-o a usar os conceitos de “Política” e “Sistema Judicial”.

O desejo de proteger e criar regras define a mecânica de jogo do Branco. A natureza defensiva desta cor pode ser vista em toda a parte: ganho de vida, prevenção de dano, remoção de atacantes, proteção contra cores, encantamentos defensivos, remoção de encantamos, etc. Algo notável é a presença de magias de Imposto (que obrigam seus oponentes a pagarem algo para fazerem uma ação) e as magias de Imposição de Leis (magias globais que modificam as regras e restringem as ações do jogadores.). Este modelo foi adotado em Investida, e aparecerá nas próximas Coleções.

Outra parte defensiva do Branco é o uso da “Igualdade”. O Branco tem a habilidade de igualar o jogo para ambos os lados, para que possuam ambos chances iguais em jogo. Exemplos dessas magias são “Cólera de Deus” e Armageddon. No entanto, o Branco também possui um lado agressivo. O Branco pune aqueles que quebram as leis. O Branco pode usar suas técnicas de organização para montar um exército formidável. Como indivíduos são pequenos, mas como um todo, formam uma unidade poderosa. Muitas das habilidades do Branco (Iniciativa, “ataque a longa distância”, como em Crossbow Infantry, prevenção de dano, fortalecimento de criaturas, como em Angelic Page, etc.) ajudam as criaturas a trabalhar de modo mais eficiente juntas. O Branco, porém, também possuem magias, como a Glorious Anthem, que ajudam a fortalecer TODO o exercito de pequenas criaturas.

O Branco vence o jogo controlando o ambiente. Toma uma atitude defensiva, e então, usa suas ferramentas para parar as ameaças inimigas. Uma vez que as ameaças foram controladas, o exército branco pode ganhar o dia. De tempos em tempo, o Branco usará ataques agressivos como uma defesa preventiva.

Entre a natureza do Verde, e a artificialidade do Azul, o Branco é equivalente. O Branco compreende a importância de valorizar o passado, mas também a importância de planejar o futuro. Mais do que qualquer outra cor, o Branco é simbolista. Em adição, o Branco é a cor da civilização.

O Branco vive por suas leis. Portanto, não pode tolerar aqueles que não as seguem. Branco julga tão desobediência como algo horrendo. Isto significa: “Quebre minhas leis, e você irá sofrer.”

É daí que vem o lado agressivo do Branco. Ele acredita que existe uma leia moral, ou direito civil que vá impedir os considerados cruéis. O Branco vê isso como um ataque totalmente defensivo. Se o Branco não pará-los agora, eles voltarão mais tarde para destruir o estilo de vida do Branco.
Por que o Branco gosta de seus aliados, e odeia seus inimigos?

No Verde, o Branco vê um parceiro que compreende a importância da Comunidade. Que o bem de todos é mais importante que o bem do indivíduo. Diferente do Azul, o Branco é capaz de viver uma vida agrária que se mistura com a civilização, assim como o Verde.

No Azul, o Branco vê um companheiro que entende a importância do comedimento, da paciência. Ambos, Azul e Branco, valorizam disciplina e planejamento. O Azul percebe a necessidade de leis e tem a paciência para pensar a longo prazo.

No Vermelho, o Branco vê um inimigo que não respeita as Leis Civis. Vermelho faz o que quer, quando quer, criando assim o Caos. Isso é uma abominação, aos olhos do Branco. Se o Vermelho fizer o que quiser, a Anarquia reinaria eterna. Se o Branco quiser a Paz, o Vermelho TEM de ser destruído.

No Preto, o Branco vê um inimigo que não respeita as Leis Morais. O Preto, gananciosamente, promove as necessidade do indivíduo sobre as necessidades do grupo. E não há NADA mais perigosa que aqueles que desejam por seus desejos pessoais na frente de tudo e todos. O Preto é maior do males, e deve ser destruído a todo custo.

A maior força do Branco é a habilidade de criar e manter leis. Se o Branco puder fazer o oponente jogar pelas regras dele, a vitória é certa. A parte fraca desta estratégia é a inflexibilidade. Branco não tem a capacidade de se adaptar rapidamente a uma situação diferente e perigosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário