quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Aves

As aves no Magic são tipicamente caracterizadas por possuírem penas, ossos ocos e as asas. Elas normalmente são capazes de voar, podem ser de tamanhos grandes e bastante inteligentes, além de existirem diversos tipos antropomórficos e se subdividirem em diferentes grupos, como corujas, águias, falcões, corvos e gaviões. As aves estão muito ligadas aos manas azul e branco. A exceção mais notória é a Aves do Paraíso, que é uma criatura verde.

Avianos são um tipo de ave antropomórfica encontrada em Dominária e vários outros planos. De acordo com os mitos de Otaria, os avianos foram criados quando águias imploraram para uma divindade celeste, chamada Ancestral, que as transformasse em humanos. Por outro lado, alguns acreditam que na verdade eles se tratavam de refugiados de outro plano que acabaram se instalarando em Dominária. Alguns até mesmo afirmam que elas evoluíram naturalmente a partir de aves como o Falcão da Cauda Solar.

Encontrados em Dominária (principalmente no continente de Otaria), Ravnica, Alara e outros mundos, os Avianos constituem uma raça de "homens-aves" bastante numerosa. Apesar de "aviano" ser um termo usado para se referir coletivamente a todos os humanóides com aspecto de pássaro altos e fortes, possuindo braços, pernas e asas. A espécie é majestosa e orgulhosa, bem como, no campo de batalha, é ágil e feroz. A primeira aparição de um aviano como carta foi Kangee, um herói durante a Invasão Phyrexiana que, aparentemente, liderou todos os demais avianos na batalha contra os exércitos de Yawgmoth.

A maioria dos avianos presta seus serviços à Ordem, uma sociedade intolerante de nômades idealistas. Seu sistema era baseado nos ensinamentos de uma misteriosa entidade conhecida apenas como o Ancestral. Dessa forma, os membros da Ordem, procuraram artefatos potencialmente perigosos, tais como o Mirari e os destruíam. Por esta razão, a Ordem repetidamente entrou em conflito com Kamahl.

A Ordem teve uma relação complexa com a Cabala. Inicialmente, a Ordem apenas observou suas atividades, mas depois foi necessário agir por perceberam a natureza desprezível dos seus membros. As duas organizações entraram em confronto com freqüência, embora nenhuma tivesse forças para erradicar a outra. Dessa forma, a abordagem da Ordem foi variada para lidar com o Cabala. Apesar de alguns líderes, como Teroh, que considerava a Cabala completamente abominável e tentou lançar uma cruzada contra ela, outros foram mais pragmáticos. Eesha entrou em uma aliança com a Cabala, a fim de destruir o Mirari, Kirtar preferia participar regularmente de lutas no fosso, apenas para demonstrar a superioridade da formação da Ordem.

Alguns sábios discutem acerca dos avianos com aspecto de águia geralmente terem pré-disposição para guerrear e lidar com magias, enquanto aqueles com aparência de corujas pareçam menos militares e mais especializados em trabalhos de assistência e pesquisa. Quando a magia do Mirari foi despejada em Otaria, alterando os seus habitantes, muitos se tornaram avianos mais altos e mais musculosos, com longas garras afiadas como navalhas. Os mais avançados desses mutantes perderam os seus braços, regredindo em enormes aves de rapina inteligentes. Outros, como os Elen, tornaram-se criaturas colossais e alguns, como os Raypen, perderam suas asas. Também existem os Garras Curtas, um clã inteiro que teve suas habilidades mágicas ampliadas graças às emanações do Mirari, principalmente seus anciões.

Em Alara existem aguns tipos diferentes de avianos. Os mais numerosos fazem parte da tribo Kathari e são guerreiros com aparência de abutres que podem ser encontrados no fragmento de Grixis. Nem mesmo quando eles se tornam carcaças ambulantes, deixam de combater seus adversários na busca por carne podre para se alimentarem.

Os avianos constituem apenas uma parte deste tipo de criatura existente em Magic. Ainda existem diversas outras sub-raças de pássaros propriamente ditos, que são classificados, obviamente, como aves também. Por exemplo, existem os Primocs, híbridos entre pássaros e macacos, que foram criados pelo Riptide Project (o mesmo que criou os Fractius) para servirem como familiares e também os Rocs, que são aves grandes e selvagens que vivem em picos das montanhas de mais difícil acesso em Rabiah, Ravnica e Dominária.

O Multiverso possui uma quantidade tão vasta deste gênero de criatura que muitas delas às vezes são bem diferentes da imagem que se costuma ter em mente de aves normais, como é o caso dos Pércheros. Tratam-se de criaturas que não se parecem com aves nem um pouco, mas sim com lulas voadoras. Elas eram usadas pelos phyrexianos em Rath para transmitir mensagens a longas distâncias, devido à sua capacidade de memorizar e repetir frases curtas.

Já a Fênix é um tipo de ave que é metade animal e metade elemental. Ela é capaz de transformar seu corpo em fogo e chama, e, literalmente, ressurgir de suas cinzas, ressuscitando-se. Elas são vistas em Dominária, Ravnica, Rath, Mirrodin e no fragmento de Jund em Alara, principalmente durante grandes incêndios. Rukhs, também chamado de "penas de pedra", são semelhantes à fênix, porém o seu elemento base é terra e não fogo. Suas penas parecem feitas de couro e suas asas escamosas. Eles são nativos do Plano de Rabiah e perigosos desde recém saídos do ovo.

Aesthirs são aves gigantes que eram usadas pelos kjeldoranos como montarias voadoras para sua elite de cavaleiros. Eles tornaram-se gradualmente extintos após o término da Era Glacial, quando seu habitat natural gelado começou a se tornar cada vez mais escasso. Diz-se que Oriel Kjeldos, o progenitor da crianças que fundariam as bases do Império Kjeldorano, foi o primeiro a treinar um Aesthir Selvagem e que o lendário Márton Stromgald, general cujo nome deu origem foi homenagem durante a criação da Ordem de Stromgald, foi o primeiro a usar um Aesthir no combate contra os goblins.

Em Dominária, existem os Darbas, que são aves gigantescas, incapazes de voar e carnívoras que vivem no leste da Jamuraa. Durante a invasão de Keldon à Jamuraa, muitas vezes eles foram encontrados seguindo barcos keldonianos em busca de carniça ou foram usados pelo exército para executar prisioneiros, covardes e traidores. Ocasionalmente atacavam até mesmo acampamentos keldonianos bem armados em busca de alimento.

Por fim, outro tipo digno de nota são os Falcões de Meseta. Embora sejam naturalmente aves consideradas perigosas em Ulgrotha, eles costumam visitar o Aviário de Serra e alguns falcoeiros como Soraya são até mesmo capazes de comunicar diretamente com estas aves.

2 comentários: